Nosso Cerrado… Cercado? Preservado!

O Cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, menor apenas do que a Floresta Amazônica, e cobria, originalmente, cerca de um quarto do território brasileiro. A região é a casa de mais de cinco mil espécies brasileiras, como o Lobo Guará, o Tamanduá Bandeira e a Onça Pintada.

 Clique na imagem e veja no infográfico os cinco mamíferos ameaçados de extinção do Cerrado

Composto por formações vegetais determinadas, em grande parte, por variações na topografia, nos solos e na disponibilidade de água, o Cerrado é considerado um hotspot por ser um local prioritário para a conservação da biodiversidade mundial. O bioma apresenta muitos dos chamados centros de endemismo, locais com muitas espécies que só ocorrem ali.

Veja mais fotos da área de preservação da Vina

 

Você conhece o cerrado?

Além de hotspot, outro nome que é dado ao bioma é de “caixa d’água do Brasil”. E esse apelido não é ocasional, pois a sua área abriga nascentes ou leitos de rios de oito bacias hidrográficas, dentre as doze que existem no País; o que revela a sua importância socioambiental, já que nove em cada dez brasileiros utilizam, direta ou indiretamente, as águas do Cerrado.

As águas do Cerrado são importantes também para o abastecimento de aquíferos, que são rios subterrâneos e, por isso, a manutenção dessa importante reserva hídrica subterrânea depende da sustentabilidade deste bioma.

Cerrado: berço das águas do Brasil

Ainda assim, a devastação da cobertura vegetal já chega a 52% do território do Cerrado e está comprometendo nascentes, rios, a fauna e a flora. Não somente as paisagens, mas também os modos de vida de suas populações, os ecossistemas e o regime hídrico têm sofrido com as mudanças, que vêm causando a desordem nas relações entre as espécies, a qualidade  e quantidade da água e o clima.

 O Cerrado original e o Cerrado de 15 anos atrás

O Cerrado contribui enormemente para o bem estar humano, provendo serviços ecossistêmicos em escalas global, regional e local. Na VINA, desde a instalação da sede da empresa no Barreiro, ao lado da Serra do Rola Moça, um projeto ambiental vem buscando, sempre que possível, conservar toda e qualquer espécie nativa do Cerrado em uma área especial de preservação.

A imagem acima apresenta a área total, em 2008, em comparação à área atual, após a instalação da empresa, ilustrando a redução de 60% das áreas verdes totais. No entanto, o projeto apresenta quase 20% a mais da taxa de permeabilidade exigida (que é de 20%), representando quase 40% em relação à sua área total.

Área total do terreno: 12.296,03m²

Taxa de permeabilidade exigida: 20%

Taxa de permeabilidade atingida: 39,56% (4.864,6247m² de área conservada)

A área de preservação da VINA apresenta grande quantidade de espécies nativas. Um estudo realizado em 2017 revelou que a área preserva 132 espécies da flora. Dentre elas, várias espécies endêmicas do Cerrado como o Pequi, a Lobeira, o Barbatimão e o Pau Santo.

A área de preservação da VINA tem função ambiental importante no ecossistema local. Mas é, também, um instrumento para a educação ambiental, trabalhada permanentemente com a equipe da VINA e com a comunidade no entorno da sua sede. Eventos, palestras e trilhas são realizados a fim de informar e educar as pessoas sobre o meio ambiente e a preservação da natureza e do Cerrado.

  

Vaja mais imagens da área de cerrado da vina

A preservação do Cerrado depende de como usamos a sua biodiversidade. Tanta riqueza pode e deve ser usada, mas é preciso que ela também sirva às novas gerações que vêm por aí. A VINA apoia a valorização das riquezas naturais do Cerrado e o seu uso racional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *